terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

Sua casa em mim.

Não sei se por instinto de sobrevivência ou por pura poesia, minha imaginação criou uma casa para que você possa habitar.
E nos dias que não te vejo, não falo com você como eu gostaria, recorro à sua casa aqui dentro pra aliviar a saudade.
E lá te vejo, te ouço e quase te sinto.
Confesso que o "quase sentir" me causa uma mistura de sentimentos. Acalma e ao mesmo tempo desperta.
Quando acalma, penso que ter uma casa sua dentro de mim foi uma atitude de meu instinto de sobrevivência. 
Não que eu dependa disso para viver, mas com você habitando aqui dentro, a vida fica mais gostosa, mais convidativa...
Mas quando esse "quase sentir" me desperta... Vira poesia. E quando a poesia escancara a falta, às vezes, dói.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Falando de Amor, do tão falado Amor.

Tanto tempo sem falar de amor, sem escrever romances que parece um crime contá-los.
Quase me sinto acusada por expor algo tão forte assim!
Tanto tempo sem falar de emoções por aqui que parece complicado demais expressá-las.
Fico tentando achar o início, mas não acho.  
Onde começou? Quando esse sentimento entrou que só percebi agora?
De repente a chave muda. De repente nosso coração se abre e nosso olhar desperta.
As diferenças continuam ali, os "defeitos" são visíveis, mas não são determinantes.
E a gente passa a enxergar o outro com mais misericórdia, com mais graça...

Um dia sem um contato que seja é calculado nos segundos, então 1 dia se torna 86.400 segundos de ausência!!!!
E a ausência do outro passa a doer. E o amor começa a querer escorrer pelo rosto.
Não é lágrima de tristeza, é de transbordar...
A falta do outro parece gritar e as horas parecem ter pesos multiplicados. Enquanto que a presença....
Ah, a presença do amado... A presença sussurra, acalma, para o tempo. 
E o silêncio não constrange, pelo contrário, é totalmente preenchido pelos sentimentos.

É ilógico, quebra padrões que estabelecemos. 
[não estou falando de passar por cima do amor próprio, estou falando de rever nossas filosofias humanas, reajustar para que o outro se encaixe].
E justamente por isso, nos assusta! E, de vez em quando, por causa do "medo do desconhecido,  lutamos a todo custo para pegar as rédeas das emoções de volta. Só que amor não anda com rédeas.
E guiados pelo "receio de perder o controle", racionalizamos tentando secar a fonte do amor.

Mas Amor, AMOR mesmo, ahhhh....ele flui como as águas, e vai contornando os obstáculos.
Porque "O amor é PACIENTE, o amor é BONDOSO. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, NÃO PROCURA SEUS PRÓPRIOS INTERESSES, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo CRÊ, tudo ESPERA, TUDO suporta."

Que a gente não perca a vida enquanto vivemos!

O ano mal começou e tanta coisa aconteceu no Brasil! Tantas tragédias... 
Bom, na verdade, o número de mortes no Brasil sempre foi assustador (seja por acidente, violência, e/ou negligência do Governo). Mas a essas, nos "acostumamos", infelizmente. 
O ser humano tem a incrível capacidade de se adaptar e acomodar com as situações mais absurdas. 
Isso é bom, mas também nos torna passivos. 

Que perda tivemos em Brumadinho (MG)! 
Que perda tivemos no CT do Flamengo! 
Que perda tivemos hoje com a fatalidade ocorrida com o Boechat. 
Não é que a morte dele tenha nos tocado mais! É que ele era voz de muitos, ele era "coletivo", entende?! E quando um "coletivo" se vai, abre um espaço enorme entre nós. 

Mas eu costumo tentar aprender com tudo na vida. Acredito que sempre tem um ângulo em que podemos olhar e amenizar a dor e/ou agregar algo. 
"Mas a morte agregar?" Eu sei, parece estranho. Afinal, ela arranca de nós o que temos de mais precioso: a vida. 
De repente, um último suspiro. De repente, não tem mais "amanhã", não tem mais "até logo", "semana que vem eu falo", "mais tarde ligo", "depois peço desculpas", "o dinheiro é mais importante"... 
E é isso que me confronta! 
Meu autor preferido, C.S.Lewis, disse: "tudo que não é eterno, é eternamente inútil". 
E deixa eu te falar... Mesmo que a morte chegue, a vida não acaba. Você e eu somos eternos, e a eternidade já começou. Estamos inseridos nela. 
E como temos vivido essa eternidade? O que temos semeado nela? 
Vamos continuar com padrões humanistas, racionais e cheios de ego??? Ou vamos nos render aos padrões do Alto (do Céu)? 
Vamos continuar colocando "coisas" acima de pessoas? 
Vamos continuar categorizando pessoas por conquistas e não por essências? 
Vamos continuar medindo a vida de forma tão superficial e barata? 
Vamos continuar discutindo por "direita e esquerda"? Vamos continuar guerreando pra ver quem está com a razão? 
Vamos continuar regrando amor por medo do que possam pensar? 
Vamos continuar tão medianos assim? 
Vamos continuar achando que podemos nos salvar sem a Graça de Deus? 
Vamos continuar sonhando, sonhando, sonhando sem coragem de tirar o pé do chão pra voar? 
Vamos continuar perdendo momentos de alegria e amor porque alguém um dia nos feriu? 

Sim, tivemos perdas terríveis esse ano. Mas acredito que em nossa caminhada já perdemos muita vida que poderia ser vivida e não foi, porque não saímos de nossa zona de conforto. 
Lamento muito por cada tragédia ocorrida. Mas que a gente não perca ainda mais. 
Que a gente não perca a vida enquanto vivemos!


quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

Cuide de seus pensamentos.

"...tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai. O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso fazei; e o Deus de paz será convosco." _Filipenses 4:8,9 

Não sei vocês, mas de vez em quando há uma batalha em minha mente, e minha alma quer definir verdades baseada no que ela está sentindo. 
Às vezes, é uma batalha leve, outras nem tanto. Aí as armas têm que ser mais intensas. 
Porque tratando-se de alma (emoções), quanto mais pensamos, mais empoderada ela fica. E como eu penso muito, às vezes caio numa armadilha. Porque ao invés de o exercício de "pensar" me libertar, ele vai me aprisionando. É aquela história, nossa virtude em excesso vira fraqueza. 
O desequilíbrio das forças sempre vai nos pender para algum lado ao invés de nos manter de pé. 
Basta você pensar de forma bem lógica: se está caminhando carregando uma mala pesada de um lado só, seu corpo vai pender pra aquele lado e pra que isso não ocorra, vc faz força para o lado contrário. Enfim... 

A boa notícia é que Deus já deixou tudo para nós em Sua Palavra. No versículo acima, o apóstolo Paulo diz como devemos usar nossa mente em nosso favor. 
Se pensarmos em tudo que é bom, honesto, justo, puro, amável, de boa fama, com alguma virtude, louvor, E SE PRATICARMOS tudo que OUVIMOS, lemos e recebemos, aí o DEUS da PAZ será conosco. 
Entenda. Não é que ELE não estará se não seguirmos isso. É que a face de PAZ de Deus (que tem sua multiforme sabedoria) resplandece assim, se manifesta em nossos pensamentos. 
Se não cuidarmos dos pensamentos, a vida vira um tormento (mesmo que Deus esteja com a gente). Porque a parte do "domínio próprio" não é função Dele, é nossa. E é um fruto do Espírito, um fruto de um relacionamento com Deus, de um "regar" da árvore enraizada Nele. Entende?! 
Está tudo ligado. Deus não nos fez de forma aleatória. 
Como alimentamos nossa alma, reagimos. Se alimentamos com medo, reagimos com medo. 

Tá, e o que fazer quando mesmo sabendo de tudo isso a gente não consegue reagir? 
É, há batalhas mais pesadas mesmo. Aí precisamos pegar a Espada do Espírito (Ef 6), que é a Palavra de Deus, pois como está escrito: "ela é viva e eficaz,...capaz de separar juntas e medulas, alma e espírito". 
E é isso que precisa ser feito nos momentos de pensamentos densos: separar a alma do espírito, e declarar a Verdade de Palavra. 
Porque não são nossos pensamentos e emoções que nos definem, é a Palavra de Deus, é o que ELE diz. 
Portanto, cuidemos desse campo de batalha. 
Cuidemos de nossos pensamentos. 
 Busquemos alinhá-los com o que Deus diz a nosso respeito. 

"Assim diz o Senhor: Eu é que sei os pensamentos que tenho sobre vós, pensamentos de Paz e não de mal, para vos dar o fim que desejardes." 

Beijos 
Com Amor.... 

Pra nós. 
Por nós.

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

A Cruz foge da lógica humana. Se sobrepõe aos nossos padrões.

A Cruz parece um paradoxo quando queremos entender o amor a partir de uma lógica humana, firmada na meritocracia.
O mundo espiritual tem outras leis. É "o amor que cobre multidão de pecados"
Mas isso não significa que o pecado pode ser abraçado por nós. Isso apenas revela que nosso pecado é menor que o Amor de Deus. 
Cada vez que erro (peco), consigo ver Jesus escrevendo no chão e ouço o barulho das pedras caindo (como na história bíblica entitulada "a mulher adúltera). 
Cada vez que vivo aquela realidade que Paulo fala, " o bem que eu quero fazer não faço "; vejo uma nova face da Graça de Deus. E Ele me dizendo : "nunca foi porque você é santa, certinha ou qualquer outra coisa. Sempre foi por causa do sangue de Jesus". 

Percebo cada vez mais que , quanto mais nos firmamos em nossa justiça própria, mais distante ficamos da Graça. Aí, cada erro vira condenação. 
Lembram da história do Fariseu e Publicano? Enquanto o fariseu "arrotava" aos 4 cantos sua "santidade", o publicano batia no peito pedindo misericórdia. E quem foi "aprovado" por Deus foi o Publicano. 
Repito. Não estou dizendo que a Graça nos apresenta um estilo de vida de pecado gratuito. Apenas reforço que a Graça vai muito além de nossos erros e acertos. 

Que possamos fazer de um erro, uma nova oportunidade de conhecer a Graça do Pai. 
O pecado quer nos gritar "vc é pecador". O Amor de Deus nos diz: "sim, vc é falho, e foi exatamente por isso que Jesus se sacrificou, pois ninguém pode salvar a si mesmo, por mais incríveis suas obras sejam". 

É interessante o quanto um erro nosso, um pecado cometido, revela um outro pecado : o orgulho de nossa santidade ou a justiça própria. 

Para nós. 
Por nós. 

Beijos 
 Com Amor... .

Olhe de novo.

A visão está ofuscada? 
Olhe de novo. 
A interpretação está duvidosa? 
Olhe de novo. 
O ângulo está desfavorável? 
Olhe de novo. 
Diante da vida, das circunstâncias e das pessoas, OLHE DE NOVO. Sempre. 
As pessoas estão em constante mutação, portanto, não se apegue ao olhar que passou. Ela (e) pode ter mudado. 
As circunstâncias parecem te engolir? Olhe-as de novo. Ou melhor, OLHE DE NOVO para Deus. 
Quando as circunstâncias parecem maiores que Deus é porque perdemos nosso foco, nosso olhar Nele. 
A vida está sem graça? Olhe-a de novo. Encare-a. Desafie-a. Enxergue-a. 
Sempre, olhe mais uma vez, até que sua visão esteja ajustada. Até que você enxergue o Céu em cada momento.

terça-feira, 29 de janeiro de 2019

Que a Fé nos guie e que nossa alma seja restaurada!

Diante de mais uma triste notícia de suicídio entre lideranças religiosas ou até mesmo pessoas "espiritualizadas", resolvi refletir um pouco junto com vocês. Não é um assunto bom de se falar, mas é urgente que se fale. 

É estarrecedor o número de suicídio nos últimos tempos! E mais ainda, é triste, muito triste ver líderes religiosos tão "iluminados" se perderem de si. 
A origem dos problemas de cada um é singular, não sabemos o que se passa do lado de dentro. 
MAS, podemos refletir para tentar ajudar alguém ou NOS ajudar mesmo. 

Somos espírito (onde a fé reside, onde o relacionamento com Deus acontece), temos uma alma (emoções) e habitamos em um corpo. 
Ahhh nossa alma, nossas emoções... "Enganoso é o coração do homem". 
Nossa alma não pode ocupar a direção de nossas vidas, não podemos ser guiados por ela, mas também não podemos ignorá-la. Emoções precisam ser tratadas, curadas. 
A vida com Deus iniciada através de nosso espírito precisa tocar nossa alma. 
Fé não é ignorar as emoções, é superá-la. É ver acima, ver além; é não se firmar no que vemos ou sentimos. 
Uma alma doente (emoções não curadas) pode custar caro. 
Camufla-la não resolve. Esconder-se na intelectualidade ou religiosidade também não adianta. 
A alma é algo maravilhoso e nos proporciona coisas incríveis, mas não pode ser guia. 
Emoções oscilam. Nosso espírito edificado não. 
Espírito é firmado na eternidade, firmado Naquele que é imutável e perfeito. 

Então, tenhamos cuidado. 
Palavras incríveis, grandes revelações, ser instrumento de Deus não anula a necessidade de cuidarmos de nossas emoções, enfrenta-las. 
O relacionamento com Deus atua em todas as esferas, se assim permitirmos. 
Uma alma "doente" limita o agir de Deus em nós e através de nós. 

Jesus não ignorava suas emoções, ELE as submetia ao seu espírito. É diferente. 
Ele tinha seus momentos a sós com Deus, seus momentos de se retirar. Ele cuidava de si. 

Como disse Carl Jung, o pai da psicologia analítica: "quem olha pra dentro, desperta"

Então, edifique seu espírito através da oração, adoração, leitura da Palavra. Mas não pare por aí. 
Cuide de sua alma, conheça as origens, busque a raiz junto à luz de Amor da Palavra. 
Olhe pra dentro. Não para ficar ensimesmado, mas para desatar os nós. 
Olhe-se na presença de quem te criou. Olhe-se com olhar de amor. E prossiga... 
Que esse cuidado chegue ao seu corpo. 

Espírito edificado. Alma restaurada. Corpo saudável. 

Beijos 
Com Amor...